Idosos devem reforçar a hidratação no verão

Estação mais quente do ano impacta de maneira intensa a saúde dos idosos

Curitiba/PR (janeiro de 2015) – O verão 2014/2015, que começou no dia 21 de dezembro, promete ser o mais quente registrado no Paraná nos últimos 17 anos, de acordo com o Instituto Tecnológico Simepar. E, com o aumento da temperatura, um cuidado é indispensável: a hidratação, especialmente para os idosos. Isso porque o sistema de regulação térmica do organismo e o mecanismo de sede, na terceira idade, costumam se alterar, demandando cuidados extras.

O geriatra e clínico geral Carlos Greca, credenciado da Amil no Paraná, aponta ainda outros impactos do calor na saúde dos idosos, como a diminuição da pressão arterial, causada pelo suor excessivo; o risco de desenvolvimento de câncer de pele, devido ao excesso da exposição ao sol; e o surgimento de micoses e frieiras, devido ao aumento de umidade entre as dobras da pele, nas mãos e nos pés.

Alguns cuidados, portanto, são indispensáveis. “No verão, é importante que os idosos aumentem a ingestão de líquidos, principalmente água, para manter o corpo hidratado. E, em altas temperaturas, mesmo que não estejam sentindo calor, é recomendado o uso de roupas leves, claras e ventiladas. Cuidados com a pele também são importantes, como secar corretamente a umidade entre os dedos e dobras do corpo, aplicar filtro solar e creme hidratante, além de evitar exposição ao sol entre as 10h e as 16h”, indica o geriatra. Nos estados que aderiram ao horário de verão, em que os ponteiros estão adiantados em uma hora, é preciso adaptar o horário de exposição ao sol.

Outra preocupação no calor é a alimentação, que deve ser leve e saudável. O médico aponta que, no verão, o ideal é investir na ingestão de frutas, verduras, legumes, carnes magras, cereais integrais e picolés à base de frutas (exceto no caso de pacientes diabéticos). Por outro lado, alimentos à base de leite, gordura e ovos devem ser consumidos com moderação e mantidos em refrigeração adequada, pois o calor aumenta a proliferação de bactérias causadoras de intoxicações.

Outra dica é evitar ambientes fechados, com pouca ventilação e excesso de pessoas. Já para aqueles que fazem tratamentos, é indicado consultar o médico acompanhante sobre a necessidade de readaptação da administração de medicamentos no período de calor intenso. Com a adoção desses cuidados, é possível que os idosos passem pela estação mais quente do ano de maneira mais confortável e segura.